Pó de Vidro

by Bent.vi

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.

      name your price

     

1.
03:04
2.
03:22
3.
4.
05:06
5.
03:27
6.

credits

released May 17, 2014

Gravado, produzido, mixado e masterizado por Piter de Paula e Bent.vi no est'udio Piter de Paula. Bateria por Lucas Caetano. Escaleta e Lira por Luiz Bento. Baixo por Wallace Santos. Guitarras por Luiz Bento e David Dinucci. Vocais por Luiz Bento exceto a parte final de "Eu Escolho Plantar Luz" por David Dinucci. Arte da capa por Paulo Grua.

tags

license

all rights reserved

about

Bent.vi Macaé, Brazil

contact / help

Contact Bent.vi

Streaming and
Download help

Track Name: Absurdo
É um absurdo
Ter que abrir essa janela
Dar de cara com aquela paisagem obscura

É um insulto
Mensurar tamanho erro
Automedicando medo
Ingerindo Lua Cheia

Cuidando de não ter
Saudade repentina
Recordo os defeitos
Que assim me desanimam

Não há nada bom para lembrar coleciono amarguras

No desespero
Damos voz a quem não pode
Da burrice toma um gole
Cuspindo arrependimento

Pisando fundo
De primeira assoviando
Melodias vão sangrando
Nesse peito machucado
Track Name: Alforria
Eu me julguei mais do que deveria
E aconteceu o pior Afinal
Em latência o passado evoca o meu mal

Eu me doei mais do que deveria
Experimentei o que é amargar
Uma vida escolhendo me anular

Campo minado e andar Nunca vai combinar
Chegou a hora de ir embora
Toque de recolher
Dar meia volta e entender
Que em toda história há um começo e um final.
Track Name: Faca no Peito
Fui conjugar de olho fechado o verbo amar
Olha, no início eu gaguejei, eu sei, mas me deixe falar
Vai ver fluência aqui
E a dor que é meu presente indesejado

Verbalizar, olhar, fui conjugar o amar
Faca no peito quando olhava nos teus olhos
E eu sei não vou achar amor, nem dor assim em outros quintais

Não há vaia que me assuste mais que o som da tua voz me chamando
Me pedindo pra ficar
Track Name: Ciranda
Ser carregado, sem notar
Numa espécie de maré
Silenciosa quando quer
E oponente com quem cisma em contra nadar
É perigoso respirar
Sem motivação para tal
É contagioso acreditar
Que o mundo é esse quintal com cães te vigiando para não sair
Desse esquema tão pobre
Que impõe o que nobre
Que anuncia mentiras, com voz polida.
Entra na ciranda, da escola da sua filha
Saia solte pipa, com os moleques da esquina
Perca a hora do trabalho, admirando o nascer do sol.
Track Name: Espero
Conto horas, conto histórias, quanto tempo pra esperar?
Haja caça-palavras
A agonia do som do silêncio escasso pra piorar, dor antecipada
No trajeto do trampo pra casa nostalgia no ar, corre pela cidade
Revirando velhos discos, velhas fotos, pra amenizar caixas de saudade
Espero que volte logo
Track Name: Eu Escolho Plantar Luz
Pagando o mal com o bem
Vou convidando o sol
Para chegar mais cedo todo dia
Iluminando a qualquer hora

A vida é soma não esqueço
Plantar, colher é desse jeito
E assim escolho plantar luz


Há mais em mim que pés cansados e alma pra lavar.
Apesar de me contentar com o que me cabe hoje,
Não me foge a certeza de que um dia,
Talvez amanhã, talvez vida que vem,
Haverá no meu peito menos medo e mais espaço pra canções tortas
E coragem pra provar o corte
O suficiente pra evitar o raso
A que me condeno, às vezes por receio, às vezes por conveniência
Que me afasta, enquanto me envolve fundo, da beleza que é provar o profundo
E da liberdade que é viver independente do que não sou essencialmente dependente
Do que não sou essencialmente
E de não ser dependente de viver o que não sou.